pesquisa na Web.... pesquisa em ASGARDH.... pesquisa em iHEAVEN.... pesquisa em iHELL.... pesquisa em Ridertamashii ENTRETENIMENTO.... Previsão do Tempo para São Paulo
translate for english

MITOLOGIA CELTA

iHEAVEN, um mundo de fantasia!
  • iHEAVEN(home)
  • MITOLOGIA CLASSICA
  • MITOLOGIA NORDICA
  • MITOLOGIA CELTA
  • MITOLOGIA EGIPCIA
  • PSICHES,psicologia e religiões comparadas
  • ESPIRITUALIDADE
  • MAGIA
  • BUDISMO
  • BRAHMANISMO
  • DA VINCE, MITOS JUDAICO-CRISTAOS.
  • OS ILUMINADOS
  • COMERCIAIS
    CONTATO COM ASGARDH
    email: sygrun@gmail.com
    Powered by


    BLOGGER

  • ASGARDH, hell and heaven
  • Ridertamashii:animes,mangas,HQs,cultura POP
  • TRISTÃO E ISOLDA: Profa. Luciana de Campos
  • A Cançao De Amergin
  • Tristão e Isolda
  • MERLIN DA BRETANHA.
  • A demanda do Santo Graal
  • O CICLO ARTURIANO
  • Merlin Um Arquétipo de Hedgewitch
  • A História de Etain
  • livro on line: CELTAS, MITOLOGIA E POVO - A RODA D...
  • livro on line: CELTAS, MITOLOGIA E POVO - OS DRUID...
  • Ceridwen, A Deusa Branca
    sábado, junho 24, 2006

    A Deusa Branca

    Resumo Baseado No Quarto Capitulo do Livro THE WHITE Goddess By Robert Graves Por ARIANRHOD
    Antes de comecar, a falar sobre a Grande Deusa Mae, gostaria de mostrar uma possivel explicacao do por que ha uma relacao dos mitos antigos Hebreus, Gregos e Celtas.
    As tres racas foram civilizados pelos povos Aegean o qual foi conquitado e absorvido por estes. Pode-se ver isto em relacao a estrutura Aegean da tradicao Mae-filho.
    O povo de Danu, Danae ou Don (outras fontes citam Don como a Deusa Primordial), aparece nos escritos Romanos como sendo o pai de Cottius, o rei dos Cottyus. Cottys, este nome tambem foi atribuido a varia tribos na Gran Bretanha como os Cattini e Attacoti no norte. Houve tambem uma dinastia Cotys ao sul do Black sea.
    Coutius era um nome que aparecia em muitos lugares.Comecemos pela grande Deusa Cotytto ou Cotys, que foi tambem cultuada em Corinto e Sicilia, ela era celebrada da mesma forma que Demeter , a Deusa do Barley (cevada) na Grecia Antiga, ou Cybele da Phrygia.
    Os primeiros Gregos a invadirem a “GRECIA” foram os Achaens que invadiram Thessaly em 1900 a.c. eles eram criadores de gado patriarcais que cultuavam uma trinidade de Deuses Indo-Europeia Mitra, Varuna e Indra. Subsequentemente chamados de Zeus, Poseidon e Hades, la pelos idos de 1400 a.c.. Pouco a pouco, a se expandirem pela Grecia, eles tentaram acabar com a religiao Matriarcal da era de bronze. Finalmente entrando em acordo de aceitacao mutual. Sendo a sucessao matriarchal aceita. Alguns destes criadores de gado sao tambem “navegadores” chamados Pelasgians ou seafarers.
    Os Pelasgians diziam que haviam nascido do dente da cobra cosmica Ophion que a Grande Deusa Euryonome – a grande governante- teve como seu amante, dando inicio a criacao. Mas Euryonome e Ophion sao denominacoes Gregas para nomes mais antigos. Os povos de Danaans, Danu, assim chamava-se a si mesmos em honra da Grande Deusa Danae. Os Acheans que ocupavam Argolis tambem se chamavam de Dananans, tambem tornando-se navegadores. Enquanto isso os que permaneceram ao norte do istmo de Corintos eram conhecidos como Ionians, filhos da Deusa vaca Io.
    Os mais gruerreiros do Pelasgians eram os Centaurs de Magnesia, estes incluiam os clans dos wrynecks e dos leoes montanheses. Eles tambem cultuavam o cavalo (europeu, nao asiatico).
    Um dos Centaurs lideres foi chamado Cheiron - palavra vindo do Grego Cheir = mao e centaurus com a palavra centron – significando cabra. Cheiron.

    Os centaurs sob o commando de Cheiron e a ajuda dos Achean lutaram contra seu inimigo os Lapiths do norte de Thessaly.

    A Deusa mae dos Centaurs era chamada, em Grego, Leucothea, A Deusa Branca, mas para os Centauus ela era Ino ou Plastene e sua imagem ainda pode ser vista em Tantalus.
    Pelos idos de 1250 a.c. uma distinta separacao foi feita entre Achaean Danaas e os menos cuvulizados Acheans do Norte, que invadiram o Peloponesos. Estes ultimos fundaram uma religiao patriarchal encabecada por Zeus.
    Ve-se que os Danu of the Tuatha de Danaan, eram os Palegians da idade de Bronze expelidos da Grecia nos meados do Segundo milenio, com sua Deusa pre-Achean Danae de Argos. Sua soberania de Deusa se extendia Thessaly. Dando origem as antiga dinastia dos Perseus, mas na era de Homer, Danae foi masculinizada em “Danus”, filho de Belus.
    A deusa Danu tambem pode ser identificada com Danuna, a Deusa mae dos Aegeans, conforme inscricoes Egypcias, estes povos invadiram o norte da Syria, bem como o leste do Mediterraneo. Eles se subdividiram (os Pulesati da Lycia se tornaram Philistines. Alguns destes povos foram parar na Sicily, Italia, Norte da Africa e na Espanha.Outros emigraram para as ilhas Baleares.
    O mito de Uranos sendo castrado pelo seu filho Cronos e este o sendo tambem por seu filho Zeus (que o baniu para o underworld), tem raizes no mito annual de suplantacao do Deus Carvalho (Oak), pelo seu successor. Zeus , certa vez, foi o nome do heroi oracular dos pastores conectado com o culto da arvore do Carvalho de Dodona em Epirus, o qual era presidido pela sacerdotiza- pomba de Dione, A Deusa dos Bosques, tambem conhecida como Diana. De aocrdo com Frazer’s O Ramo de Ouro. Veja tambem o paralelo dos Druidas colhendo o Mistletoe – simbolo falico. O ato de colher o mistletoe formando um paralelo com “a castracao simbolica do Deus”.
    Os Achaeans quando de sua chegada ao Norte da Grecia, identificaram seu Deus- ceu com o Rei Oak dos povos locais. Havendo uma aceitacao entre o culto de Dione, ou Diana dos Bosques e com o culto do oak king. Uma vez que um sickle de ouro era usado para cortar o Mistletoe pelo Druidas, deve ter sido importado /incorporado do mito de Dememter , Ceres ou Alphito que fazia suas colheitas com o Sickle.
    Ha tam uma possibilidade do Deus Bran o Deus Corvo – ser ligado a Cronos.
    Os 50 Danaida apareceram na historia antiga na GranBretanha..

    John Milton em sua s Early Britain Scoffs, ponderous que a lenda preservada por Nennius que Britain deriva seu nome previo de Albion, que era conhecido por Plinio, tambem como Albina (A Deusa Branca), a mais velha das Danaids.
    O nome Albina, deu origem a varios outros nomes , como por exemplo: Rio Elbe (Albis em Latin), a palavra elven, uma elf feminine, alb, elf e alpdrucken, o pesadelo incubus. Tambem esta palavra eh conectada com a palavra Grega Alphos, significndo – branca-emanciada lepra. Alphiton - perola de Barley- cevada, e Alphito - A Deusa Branca., que uma vez foi a Deusa- Barley Danaan de Argus.
    Frazer um paralelo desta Deusa com Demeter ou mesmo com Persefone.
    R. Graves sente-se justificado em relacionar esta Deusa tambem com o mito de Io.
    Io , a Deusa vaca, que era um outro aspecto da Deusa.-Barley ou Deusa Branca. Este aspecto era cultuado tambem como a egua branca (white mare ), Leucippe e tambem como uma Deusa porca, Choere ou Phorcis – Marpessa a snatcher (arrebatadora, tomadora).
    Voltemos ate a Gran Bretanha e ao mito de Taliesin, onde Gwion, o menino que cuidava da pocao de sabedoria no Caldeirao de Ceridwen, lambe a pocao de seus dedos, apos, cuidar desta mistura por um ano e um dia. Provocando a ira de Ceridwen , a Deusa porca.
    Ceridwen = Cerdd= ganho, como tambem poesia. Uma palavra de origen incerta, eh visto na palavra espanhola Cerdo= porco.
    Wen= Branca. Este radical ainda hoje pode ser visto em muitos sobrenomes Espanhiois.
    Ceridwen eh a Deusa Branca, a porca Branca, A Deusa do Barley (cevada), a Deusa Branca da Morte e da inspiracao, o triplo aspecto da Deusa na sua forma de Crone.. Notadamente, a Deusa Branca que deu inspiracao ao nome pelo que primeiramente a GranBretanha foi conhecida: Albion.
    Os Latinos a cultuavam por Cardea, e Olvidio nos conta uma estoria sobre ela no seu Fasti, conectando-a com a palavra Cardo – Hinge (dobradica). Ele diz-nos que ela era a esposa de Janus, o deus de duas faces e do primeiro mes do ano e ela tinha poder sobre as dobradicas.
    Ovid diz-nos que ela primeiro reinou sobre os povos de ALBA., que foi colonizado pelos emigrantes do Peloponeso na era da grande dispersao, quando Roma foi colonizada.
    A Hawthorn (uma especie de arvore) Era usada por ela nos seus atos de limpeza/ destruicao ou arrebatacao). Dai vindo o mito de que ramos desta arvore nao podem ser trazidos para dentro da casa, pois “destruiria” seus ocupantes.
    Janus em realidade era o Deus – Carvalho Dianus e sua esposa Jana ou Diana (Dione) a Deusa dos Bosques e da Lua..
    Janus e Jana eram de fato rusticos de Jupiter e Juno. Havia um duplo p em Jupter – ele era o Jun-pater – o pai Dianus.
    Esta parte do mito eh meio complicado;
    Antes de unir-se com Jana – Diana, Juno ou Dianus ou Janus , ele foi seu filho, e eal a Deusa Branca Cardea (Isto nos lembra dos festivais ou Treguendas). Ele se tormou no simbolo da porta e ela da dobradica. Ela protegia as criancas pequenas do “bogey” que poderia tirar a vida das criancinhas.
    Pois ela a Deusa Cardea (Ceridwen) era ao mesmo tempo doadora da vida (aspecto de mae) e tiradora da vida ( crone).
    Ovidio nos identitica Cardea com a Deusa Carnea, que tinha sua festa em 1 de Junho , quando canre de porco e feijoes eram oferecidos a ela.
    Feijoes eram usados naquele tempo , como mencionado no contexto do Cäd Goddeu, como charme de cura contra espectros de fantasmas – lemurs.
    Nas Festividades da Lemuria, os chefes das familias jogavam feijos atras de si dizendo: Com estes , eu redimo a mim e a minha familia.
    Feijoes eram colocados na boca e cuspidos nos visitants, e nao na Lemuria.(de acordo com este autor).
    Obs. Os Platonicos eram perdoados por nao comerem feijao porque eles causam vento (gases na barriga….).
    Vida para eles era o sopro/ respiracao – breath, e soltar vento ou ter flatulencia (apos ter comido feijoes), significava “ ter engolido ou comido uma alma vivente” –
    Note as palavras pneuma e anima que significa briza, respiracao, alma ou spirito. Era entao um Tabbo, mencionado por Plinio, que os espiritos entrassem nos feijoes. As mulheres que comecem feijoes possibilitariam aos espiritos que se re-encarnassem. Homens comendo feijoes era prova de frustracao de seus pais.
    O lancamento de feijoes no chao na epoca do Zemuraz dava a chance de renascimento como tambem ofertado a Deusa Carnea por que ela era a senhora do underworld.
    Carnea era identificada com a Deusa Cranaë = Pedra , um sobrenome par Deusa Artemis. Este nome esta ligado etimologicamente Ao Gaelic Cairn – arranjo de pedras eregidas no topo de uma montanha.
    A White Goddess – a Deusa Branca era branca em sua fase de Donzela, como lua nova, Vermelha em sua fase de mae, de Deusa do amor e das batalhas na lua cheia e de cor negra em sua fase de Crone, como Deusa da advinhacao, e da morte e renascimento.
    Mas o maior e melhor descricao da Deusa se encontra no conto de Apuleius The Golden Ass, onde Lucius invoka a Deusa das profundezas para atender seus pedidos.
    A Deusa fala:
    _ “Note, Lucius, estou aqui: seu chorar e preces moveu-me a te socorrer.
    Eu sou ela que eh a mae de todas as coisas, senhora e governantes de todos elementos, a criacao inicial, chefe dos divinos poderes, rainha de tudo que existe no underworld, o principio de tudo que ha nos ceus, manifestada sozinha e na forma de todos os Deuses (deorum dearum-que facies uniformis).
    Sob minha vontado os planetas nos ceus, os ventos integrais do mar, e os silencios do underworld serao dispostos;
    Meu nome e minha divindade eh adorada pelo mundo afora, de muitas maneiras e formas, em varios costumes e por muitos nomes.

    Para os Phrygians que foram os primeiros a chamarem-me de Mae dos Deuses em Penssinus;
    Os Athenienses, que me tiraram do seu proprio solo, Cecropian, Minerva;
    Os Cyprians, que sao estao pelos mares, Paphian Venus;
    Os Cretenses com suas flexas, Dictynnian Diana;
    Os Sicilianos que falam 3 linguas, Proserpina infernal,
    Os Eleuseanos, sua Deusa ancestral Ceres;
    Alguns me chamam Juno, outros Bellona, outros Hecate, outros Rhamnusia,
    e principalmente ambos Ethiopians que vivem no oriente e sao iluminados pelos raios do Sol da manha, e os Egypcios, que sao muito bons em todas as doutrinas, com suas proprias cerimonias, eles me cultuam, e me chamam pelo meu verdadeiro nome, Rainha Isis.
    Veja bem, Eu venho para ter piedade dos acontecimentos (fortune significando o que ocorre, nao eh dinheiro ou fortuna em portugues) e das tribulacoes;
    Veja bem, Eu estou aqui ao seu lado para lhe ajudar;
    Pare de chorar, e de se lamentar, deixe para la toda tristeza, contemple os dias cheios de saude que lhe proporcionarei.”
    Parte desta prece formam uma prece similar que pode ser encontrada em Latim num livro Ingles Herbalista do seculo 12 (Brit. Mus. M.S. Harley, 1585, ff12v-13r):
    Esta prece era dita para pedir a Deusa, de tudo e de todos, fizesse com que as hervas usadas nas pocoes para remedios, fossem imbuidas do principio magico necessario para efetuar a cura.
    Eh muito dificil determinar como foi que a Deusa originalmente na prece de Æsculapio, Athena, virou Thoth ao invez de Isis, Esmun ao inves de Ishitar, Diamcecht ao invez de Brigid, Odin ao Invez de Freya e Bran ao invez de Danu.
    Esta eh uma parte de meus estudos sobre a Grande Deusa mae.
    Quando ela comecou a ser cultuada ( iddade de Bronze), quais os nomes dados a Ela.
    A similiaridade entre os nome da Deusa da Stregheria, Diana e da Deusa Mae dos Celtas Dan ou Danu.
    O livro “ The White Goddess eh considerado um dos melhores em termos de gramatica historica dos Mitos.
    Talves esta trasncricao sirva de fonte de consulta para os que estiverem interessados neste assunto.
    Esta traducao faz parte de uma serie de traducoes que meu amigo Laurus em “incitou” a fazer, quando eu mencionei que iria me dispor a pesquisar as similiaridades entre a Stregheria e a religiao Celta- Druida (Os Druidaas eram os religiosos dos Celtas).

    ARIANRHOD.



    RESUMO DO QUARTO CAPITULO DO LIVRO THE WHITE GODDESS BY ROBERT GRAVES, FEITO POR ARIANRHOD EM 12 DE JUNHO DE 2006


    I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS CELTAS E GERMÂNICOS,
    Florianópolis, UFSC, 25-28 de julho de 2006
    http://www.brathair.com/II%20SNIECG/
    posted by iSygrun Woelundr @ 2:47 PM  
    0 Comments:
    Postar um comentário
    << Home
     
    iHELL, a cidade do pecado!
  • iHELL, A CIDADE DO PECADO(canal de tecnologia)
  • iMOTOKO, um futuro pleno de tecnologia
  • KINEMA, artes e espetáculos
  • iAPLEE, o mundo da maçã
  • iCHINACELL, tecnologia móvel chinesa
  • BIBLIOTECA ON LINE
  • MOMENTO POLÍTICO
  • PIADAS
  • Ridertamashii
  • ultimas UNIVERSO ASGARDH
  • TRISTÃO E ISOLDA: Profa. Luciana de Campos
  • A Cançao De Amergin
  • Tristão e Isolda
  • MERLIN DA BRETANHA.
  • A demanda do Santo Graal
  • O CICLO ARTURIANO
  • Merlin Um Arquétipo de Hedgewitch
  • A História de Etain
  • livro on line: CELTAS, MITOLOGIA E POVO - A RODA D...
  • livro on line: CELTAS, MITOLOGIA E POVO - OS DRUID...
    REPORTAGENS ARQUIVADAS MÊS
    PROGRAMAS DE AFILIADOS: PARA TER ANUNCIOS EM SEU SITE OU BLOG
    © MITOLOGIA CELTA Template by ASGARDH